Acesse o novo site


Página inicial » Novidades » Exportações, importações e corrente são recordes para os meses de julho

Exportações, importações e corrente são recordes para os meses de julho

Terça-feira, 2 de agosto de 2011

Brasília – As exportações brasileiras registraram valores recordes para os meses de julho, com US$ 22,3 bilhões, superando as vendas de 2008 (US$ 20,5 bilhões). A corrente de comércio também foi a maior para os meses, com US$ 41,4 bilhões, e, igualmente, ultrapassou os valores de 2008 (US$ 37,6 bilhões).

O mesmo também aconteceu com as importações, de US$ 19,1 bilhões, recorde para o período, que superou as compras em 2008 (US$ 17,1 bilhões). O saldo comercial em julho, de US$ 3,1 bilhões, foi o maior dos últimos três anos para este mês, sendo inferior ao registrado em 2008 (US$ 3,3 bilhões).

No acumulado do ano (janeiro a julho), as exportações também foram recordistas (US$ 140,6 bilhões), assim como as importações (US$ 124,4 bilhões) e a corrente de comércio (US$ 265 bilhões). O saldo comercial no ano foi de US$ 16,1 bilhões, maior que o registrado em 2010 (US$ 9,2 bilhões).

Em entrevista coletiva para comentar os resultados hoje no auditório do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a secretária de Comércio Exterior do MDIC, Tatiana Lacerda Prazeres disse que “o Brasil está muito competitivo em produtos cujos preços estão em alta no mercado internacional e, por isso, o superávit brasileiro é muito expressivo nestes primeiros sete meses do ano”. A secretária ainda destacou que as vendas brasileiras de produtos industrializados estão crescendo em um ritmo mais acelerado que o registrado no comércio mundial (22% contra 18%).

Exportações

No acumulado de 2011, os três grupos de produtos registraram crescimento em relação à igual período de 2010: básicos (43,3%), semimanufaturados (30,5%) e manufaturados (19,1%).

Nos produtos básicos, houve crescimento de receita de minério de ferro (79,1%), café em grão (75,4%), milho em grãos (74,9%), petróleo em bruto (39,2%), minério de cobre (35%), farelo de soja (28,2%), soja em grão (27,6%), carne de frango (24,6%) e carne bovina (4%).

Nos semimanufaturados, os maiores aumentos ocorreram nas vendas de semimanufaturados de ferro e aço (101,1%), ferro fundido (77,7%), óleo de soja em bruto (61,8%), ferro-ligas (27,2%), açúcar em bruto (21,8%), ouro em forma semimanufaturada (19,4%), couros e peles (18%), alumínio em bruto (8,9%) e celulose (4,7%).

No grupo dos manufaturados, dentre os principais produtos exportados, foram destaques: máquinas e aparelhos para terraplanagem (81,1%), suco de laranja não congelado (72,1%), óleos combustíveis (49,1%), polímeros plásticos (47,9%), laminados planos (43,4%), óxidos e hidróxidos de alumínio (37,5%), veículos de carga (34,7%), motores para veículos e partes (32,6%), pneumáticos (23,4%), autopeças (22,4%), bombas e compressores (11,8%) e açúcar refinado (10,6%).

Os principais países de destino das exportações brasileiras, no acumulado do ano, foram: China (US$ 24,4 bilhões), Estados Unidos (US$ 14 bilhões), Argentina (US$ 12,5 bilhões), Países Baixos (US$ 7,7 bilhões) e Alemanha (US$ 5,3 bilhões).

Importações

Nas importações no período de janeiro a julho deste ano, houve crescimento de todas as categorias de uso, na comparação com igual período de 2010. Os combustíveis e lubrificantes tiveram aumento de 35,3%, os bens de consumo, de 31,9%, as matérias-primas e intermediários, de 24,9% e os bens de capital, de 24,4%.

Os principais países de origem das importações foram: Estados Unidos (US$ 18,6 bilhões), China (US$ 17,7 bilhões), Argentina (US$ 9,5 bilhões), Alemanha (US$ 8,4 bilhões) e Coréia do Sul (US$ 5,9 bilhões).

Acesse os dados completos com as informações do período.

Confira a apresentação feita durante a entrevista coletiva.

Veja as fotos da entrevista coletiva.

» Assista aos vídeos da entrevista:

Primeira parte

Segunda parte

Terceira parte

Mais informações para imprensa:
Assessoria de Comunicação Social do MDIC
(61) 2027-7190 e 2027-7198
André Diniz
andre.diniz@mdic.gov.br


« Voltar | Imprimir